Escolha a cadeirinha para carro ideal

A escolha da cadeirinha para auto é algo bastante importante, mas também uma tarefa difícil, especialmente para pais de primeira viagem. Devem ser lavados em conta fatores como legislação pertinente, segurança, conforto e praticidade pro dia-a-dia. Veja a seguir algumas dicas que podem te ajudar.

Novidades
9 meses atrás
Escolha a cadeirinha para carro ideal

O que a lei determina sobre a cadeirinha infantil?

O primeiro aspecto a ser considerado é o da legislação vigente no país. Essa legislação contempla o tipo de cadeirinha adequado – e obrigatório – em cada idade, e até mesmo a posição em que deve estar colocada.

A cadeirinha para crianças muito pequenas, chamada convencionalmente de Bebê Conforto e muito parecida com um pequeno berço, deve ser utilizada para crianças que tenham até 13 kg e sempre virada de costas para o motorista. Mais adiante explicaremos o motivo dessa posição.

Depois vem a cadeirinha infantil, que já tem um formato de assento de adulto mas em menor escala, é obrigatório para crianças de até 4 anos de idade. Se o modelo do veículo contar com o sistema Isofix é o ideal, mas de qualquer forma, a legislação obriga que a cadeirinha esteja perfeitamente fixada junto ao assento traseiro com ajuda do cinto de segurança.

Por fim está o assento elevado, chamado também de buster, o qual é obrigatório para crianças de até 7 anos e meio de idade. Aqui é importante tomar cuidado para a altura do cinto de segurança, o qual deve estar passando por cima do ombro da criança e em hipótese alguma sobre o pescoço. Embora seja obrigatório até à idade mencionada, é recomendável que continua sendo utilizado até que a criança atinja 1,45 metro de altura, justamente por causa da posição do cinto de segurança.

Segundo o CTB, qualquer infração nesse sentido é considerada gravíssima, com 7 pontos na CNH e uma multa alta. Esses dispositivos diminuem em até 70% os riscos de ferimentos graves em caso de acidente. Por isso, não descuide.

Melhor posição para cadeirinha ou bebê conforto

Quanto à posição da cadeirinha, merece um tópico exclusivo. No caso do Bebê Conforto a melhor posição é no centro do assento traseiro, bem fixado com o uso do cinto de segurança, e sempre virado para trás, ou seja, de costas para o motorista.

No centro do assento porque em caso de acidente nenhum dos bancos dianteiros terá impacto sobre o dispositivo de segurança da criança. E virado para trás porque num eventual impacto a cabeça da criança estará melhor apoiada, evitando o que se chama de “efeito chicote”.

O efeito chicote é aquele tranco que a cabeça tende a ter – já que pesa cerca de 25% do peso total do bebê – quando acontece um impacto. de modo que o cinto seguraria o tronco mas a cabeça seria lançada pra frente, podendo provocar uma séria lesão no pescoço da criança. Isso não acontece quando o Bebê Conforto está virado para trás, pois a cabeça estará apoiada no encosto.

Sistema Isofix

Como dissemos acima, a posição correta para o Bebê Conforto é no centro do assento traseiro. Para a cadeirinha também é a posição ideal, mas se o modelo do veículo tiver o sistema Isofix, mesmo que seja apenas nas laterais do assento, ele é mais recomendado do que a posição central.

Esse sistema está composto por duas alças que estão soldadas diretamente na estrutura principal do veículo, de modo que traz muita segurança ao fixar a cadeirinha. Mas esta deve ser compatível com a tecnologia, o que é facilmente identificado no momento da compra. Ela vem com duas hastes na base do equipamento com um engate específico que trava a cadeirinha, além de um outro engate na parte superior que a deixa completamente fixa.

Já existe no mercado tanto o Bebê Conforto quanto a Cadeirinha com esse sistema, o qual será obrigatório no Brasil para veículos novos fabricados a partir de 2020. Embora seja uma tecnologia com mais de 15 anos, é pouco conhecida e utilizada no país.

Como cuidar da higiene da cadeirinha

Um ponto importante e às vezes esquecido é quanto à higiene da cadeirinha. Teste realizados em laboratório revelaram que a cadeirinha de carro pode ter o dobro de germes que um vaso sanitário.

A explicação disso é simples. O veículo está a maior parte do tempo fechado, o que o deixa abafado; além disso muitas vezes está úmido, o que deixa o ambiente propício para a proliferação de germe; isso sem falar em restos de comida que podem cair, ou até mesmo fluidos que podem vasar da frauda.

Por isso, o ideal é tirar as espumas – caso seja possível – e mandar lavar a vapor, pois os germes não suportam altas temperaturas. Mas existe um jeito mais prático de cuidar do problema: a capa de cadeirinha.

Elas estão compostas de um material mais higiênico, são muito práticas de serem colocadas ou tiradas e podem ser lavadas com mais frequência que a cadeirinha. A solução ideal para quem tem uma vida muito corrida e precisa de praticidade.

Quais as melhores cadeirinhas do mercado?

Como todos sabem, existem inúmeras marcas de cadeirinhas no mercado, e fica difícil para o consumidor saber qual delas é a mais indicada e mais segura. Por isso, o Proteste realizou, em parceria com a Global NCAP, um teste para identificar quais as marcas ofereciam melhores condições de segurança.

Embora nenhuma marca tenha conseguido a nota máxima, algumas são melhores que outras, e isso merece nossa atenção. O ranking para cadeirinhas de crianças até 13 kg (Bebê Conforto) é o seguinte:

Melhores cadeirinhas do mercado
Melhores cadeirinhas do mercado

Já as cadeirinhas para crianças entre 9 e 36 kg, a lista das marcas testadas e seu respectivo ranking é o que está abaixo:

Melhores cadeirinhas do mercado
Melhores cadeirinhas do mercado

Vale lembrar que a nota para impacto lateral se deve justamente ao fato do sistema Isofix estar na lateral do assento traseiro, motivo pelo qual muitas marcas de cadeirinha já estão desenvolvendo proteções laterais mais eficientes.

Atenção nas estradas

De acordo com o policial rodoviário Diego Brandão, é comum flagrar motoristas trafegando com crianças sem os equipamentos exigidos por lei. Ao serem flagrados em blitz, alguns condutores acham que não há necessidade do uso de equipamentos de segurança para proteger as crianças, outros alegam que ocupa lugar no carro e ainda há os motoristas que não usam por falta de conchecimento, disse Diego.

“Esses equipamentos são desenvolvidos com base na massa muscular da criança, da dinâmica de projeção em um acidente. Eles fazem com que a criança não saia da proteção do assento, limitando o deslocamento do corpo, e dão a segurança para que ela não seja arremessada para fora do veículo”, exlica o policial.

O Código de Trânsito determina que crianças com menos de 10 anos de idade devem ser transportadas nos bancos traseiros. Para o transporte de crianças com até um ano de idade, deve ser usado o bebê conforto. Com mais de um e até quatro anos, deve-se usar a cadeirinha. Já o assento de elevação deve ser usado por crianças entre quatro anos e sete anos e meio de idade.

A multa prevista pelo não uso de equipamentos de segurança é R$ 191,54, além da perda de sete pontos na carteira e da retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

O vendedor Eduardo Reis, pai de duas crianças, de dois e seis anos, o espaço que os equipamentos ocupam no carro não é desculpa para andar sem eles.

“A segurança dos meus filhos é o mais importante”, diz.

Desde 2010, quando o uso dos equipamentos como a cadeirinha começou a ser fiscalizado, a PRF já autuou quase 60 mil condutores de motos e carros transportando crianças de forma irregular. Só neste ano, o número já passa de 11,6 mil infrações. Em 2014, foram 12.550 autuações.

*Com informações da Agência Brasil.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?