Sustentabilidade eFuel: Gasolina sintética vai alimentar os carros na Porsche Mobil 1 Supercup

A Porsche Mobil 1 Supercup, em 2024, inicia uma nova era no automobilismo ao usar exclusivamente combustível sintético, conhecido como eFuel, em suas corridas. Este combustível é produzido a partir de uma combinação inovadora de hidrogênio renovável e dióxido de carbono, utilizando energia eólica abundante e econômica na região de Magalhães, no Chile. Essa tecnologia permite a produção de eMetanol que, posteriormente, é convertido em gasolina sintética.
Publicado em Tecnologia dia 30/04/2024 por Alan Corrêa

A Porsche Mobil 1 Supercup anunciou que a temporada de 2024 será realizada usando exclusivamente combustível sintético, também conhecido como eFuel. Este combustível é produzido na planta piloto Haru Oni, localizada no Chile. A mudança para o eFuel faz parte de um esforço mais amplo para reduzir as emissões de carbono no esporte automobilístico.

O combustível é derivado de fontes renováveis, combinando hidrogênio produzido por energia eólica e dióxido de carbono capturado do ar. Esta produção ocorre em um contexto onde o vento é uma fonte de energia mais consistente e intensa comparada a outras regiões, contribuindo para uma maior eficiência na geração de energia necessária para o processo de fabricação do eFuel.

Os carros da série, modelos 911 GT3 Cup, que possuem cerca de 510 cv de potência, não necessitaram de modificações técnicas significativas para a utilização do novo combustível. Isso demonstra uma compatibilidade entre os veículos de corrida atuais e os novos tipos de combustíveis mais sustentáveis.

Detalhes Técnicos e Implementação do eFuel

A Porsche Mobil 1 Supercup iniciará a temporada de 2024 utilizando exclusivamente combustível sintético, conhecido como eFuel, produzido na planta piloto Haru Oni no Chile.
A Porsche Mobil 1 Supercup iniciará a temporada de 2024 utilizando exclusivamente combustível sintético, conhecido como eFuel, produzido na planta piloto Haru Oni no Chile.

O processo de produção do eFuel começa com a geração de eMetanol, que é posteriormente convertido em gasolina sintética. Esta conversão ocorre após o hidrogênio renovável ser combinado com o dióxido de carbono capturado do ar. A Porsche utiliza energia eólica para alimentar este processo, com a infraestrutura localizada na Patagônia chilena, uma região notável por suas condições ventosas ideais.

O projeto Haru Oni, onde ocorre a produção do eFuel, é um exemplo de como as energias renováveis podem ser utilizadas para apoiar práticas industriais sustentáveis. A energia eólica, abundante na região, permite que a planta opere de maneira eficiente, maximizando a produção de hidrogênio renovável.

O combustível resultante é então usado para abastecer os veículos da Porsche Mobil 1 Supercup. Estima-se que a temporada de 2024 necessitará de aproximadamente 50.000 litros de eFuel para abastecer os 32 carros participantes ao longo das oito etapas do campeonato.

Impacto Ambiental e Futuras Iniciativas de Sustentabilidade

Este combustível é gerado a partir de hidrogênio renovável e dióxido de carbono, utilizando energia eólica, o que permite uma produção eficiente e sustentável.
Este combustível é gerado a partir de hidrogênio renovável e dióxido de carbono, utilizando energia eólica, o que permite uma produção eficiente e sustentável.

A introdução do eFuel na Porsche Mobil 1 Supercup é parte de uma estratégia mais ampla da Porsche para reduzir a pegada de carbono de suas atividades de corrida. Esta estratégia está alinhada com objetivos globais de redução de emissões de carbono e sustentabilidade ambiental.

Além do uso de eFuel, a Porsche está investigando tecnologias adicionais para melhorar a sustentabilidade de suas operações. Uma dessas tecnologias é o DAC (Direct Air Capture), que visa capturar dióxido de carbono diretamente da atmosfera de maneira eficiente. A empresa está colaborando com o Grupo Volkswagen, HIF Global e MAN Energy Solutions para desenvolver um sistema piloto que demonstre a viabilidade industrial dessa tecnologia.

A longo prazo, essas iniciativas poderiam não apenas beneficiar o automobilismo, mas também ter implicações mais amplas para outros setores que dependem de combustíveis líquidos, como a aviação e o transporte marítimo. A Porsche e seus parceiros esperam que o sucesso desses projetos contribua para um modelo mais sustentável de produção e uso de energia.

O eFuel é inicialmente produzido como eMetanol, que depois é transformado em gasolina sintética, utilizando processos que maximizam a eficiência energética.
O eFuel é inicialmente produzido como eMetanol, que depois é transformado em gasolina sintética, utilizando processos que maximizam a eficiência energética.

Como é feita a gasolina sintética?

A gasolina sintética é produzida por um processo inovador que combina hidrogênio renovável com dióxido de carbono capturado do ar.

  • Extração de Energia Renovável: Utiliza-se energia renovável, como eólica ou solar, para gerar eletricidade necessária para o processo de produção.
  • Eletrólise da Água: Através da eletricidade gerada, a água é submetida à eletrólise, que separa o hidrogênio do oxigênio.
  • Captação de CO2: O dióxido de carbono é capturado diretamente da atmosfera ou de fontes industriais, utilizando tecnologias como o Direct Air Capture (DAC).
  • Síntese de eMetanol: O hidrogênio e o dióxido de carbono são então combinados para formar eMetanol, um precursor da gasolina sintética.
  • Conversão para Gasolina Sintética: O eMetanol é convertido em gasolina sintética através de processos químicos adicionais.
  • Utilização e Distribuição: A gasolina sintética resultante pode ser usada em motores convencionais de combustão interna e distribuída usando a infraestrutura existente para combustíveis fósseis.

*Com informações da Porsche e Wikipedia.