British Racing Green: A história da pintura icônica da MINI

Olhando para o futuro, a MINI tem planos de se tornar cada vez mais elétrica, digital e comprometida com a sustentabilidade circular.
Publicado em História dia 30/07/2023 por Alan Corrêa

Em 1902, a Inglaterra sediou pela primeira vez a prestigiada Gordon Bennett Motor Cup, precursora do atual Grand Prix. Porém, a empolgação logo encontrou um obstáculo: o limite de velocidade nacional era de apenas 12 mph (30 km/h).

Diante desse desafio, a corrida foi transferida para a Irlanda, um país sem limites de velocidade, mas repleto de vegetação gloriosa. Conta-se que os pilotos ingleses, em uma homenagem à ilha e sua exuberante vegetação, pintaram seus carros de verde escuro, dando origem à lendária cor British Racing Green.

Com o tempo, a tonalidade British Racing Green ganhou popularidade e tornou-se uma presença constante em eventos de corrida de destaque.
Com o tempo, a tonalidade British Racing Green ganhou popularidade e tornou-se uma presença constante em eventos de corrida de destaque.

Ao longo das décadas, o British Racing Green tornou-se cada vez mais popular e marcou presença em diversos eventos automobilísticos importantes. Em 1959 e 1960, por exemplo, Jack Brabham conquistou o título de Fórmula 1 pilotando dois carros British Racing Green projetados por John Cooper, que posteriormente colaborou com a marca para criar o icônico Mini Cooper em 1961. Desde então, a cor British Racing Green se tornou parte intrínseca da história da MINI.

Em uma jornada de tradição atualizada, a MINI tem modificado sutilmente a cor British Racing Green ao longo dos anos, tornando-a mais leve, brilhante e fresca, sem perder sua identidade marcante e sua rica história. Além disso, a marca introduziu o acabamento Rebel Green, uma tonalidade mais escura que mantém o estilo e a autenticidade das pistas de corrida.

Em comemoração às seis décadas de colaboração com a família Cooper, a MINI lançou, em 2021, uma edição especial em homenagem ao próprio John Cooper, com um acabamento British Racing Green e limitada a apenas 740 unidades em todo o mundo.

Olhando para o futuro, a MINI tem planos de se tornar cada vez mais elétrica, digital e comprometida com a sustentabilidade circular.
Olhando para o futuro, a MINI tem planos de se tornar cada vez mais elétrica, digital e comprometida com a sustentabilidade circular.

Atualmente, a tonalidade British Racing Green ainda está enraizada no DNA da MINI. Quase todos os novos modelos estão disponíveis nessa cor clássica, inclusive o MINI Electric, onde a tradição se une à inovação.

Não só isso, a linha MINI John Cooper Works de alto desempenho oferece opções tanto no brilhante British Racing Green quanto no mais escuro Rebel Green. Além disso, algumas das edições especiais mais recentes, como o MINI Resolute Edition, celebram a herança das corridas com a carroceria Rebel Green e detalhes de design sofisticados.

Diante de um futuro cada vez mais elétrico, digital e sustentável, a MINI planeja tornar-se totalmente elétrica a partir de 2030. Nesse novo capítulo de sua história, a cor British Racing Green, sem dúvida, continuará sendo uma parceira fiel da MINI, mantendo viva a tradição e a paixão pelo automobilismo britânico.

*Com informações da BMW.