O que é direção defensiva?

Direção defensiva é o conjunto de atitudes que um motorista deve tomar para prevenir ou minimizar as consequências de um acidente.

Dicas
4 semanas atrás
O que é direção defensiva?

Levando em consideração que todo acidente está relacionado com uma falha humana (negligência, imprudência, imperícia), sempre é possível tomar uma atitude de precaução para atenuar ou impedir um acidente.

Conhecimento antecipado das situações de perigo

Um dos princípios básicos da direção defensiva é ter um conhecimento intuitivo antecipado das possíveis situações de perigo à sua frente. Isso está muito ligado à forma de conduzir do motorista, e em sua atenção a tudo que o rodeia.

Pode parecer algo bem complicado, mas na verdade é bem mais simples do que parece à primeira vista. Na verdade, muitos motoristas já fazem isso, mesmo que de forma inconsciente. Então, será preciso apenas deixar que isso seja feito de forma controlada e consciente.

O Dentran oferece, inclusive, um Manual de Direção Defensiva, o qual apresenta os princípios básicos da direção defensiva, e diversas dicas de como se portar corretamente no trânsito, nas mais variadas situações em que o motorista possa se encontrar.

Comportamento correto do motorista

Além da atenção ao dirigir, o motorista também precisa adotar um comportamento correto ao volante. Por exemplo, evitar situações de risco como passar no farol vermelho, fazer ultrapassagem em local proibido ou sem visibilidade, dirigir alcoolizado ou sob efeito de qualquer outra substância que possa dificultar o controle e julgamento, utilizar celular enquanto conduz, entre muitas outras.

Algo que não infringe diretamente a lei, mas que também deve ser evitado ao máximo – causa de muitos acidentes e mortes – é dirigir cansado ou com sono. Claro que estamos falando de situações extremas, não apenas ir na padaria comprar pão.

Conhecer o básico do funcionamento do veículo

Outra regra fundamental é que o motorista conheça pelo menos os princípios básicos do funcionamento do veículo. Não precisa ser nenhum engenheiro mecânico para saber quando os pneus estão “carecas” e o carro começa a derrapar à toa, por exemplo.

Saber interpretar as indicações do painel também é fundamental. Além de evitar acidentes, também pode ajudar a trazer uma grande economia para o bolso. Em muitos casos, o aquecimento do motor é indicado no painel e o motorista nem se dá conta. O motor pode fundir ou apresentar algum outro problema grave, quando seria suficiente apenas para num posto e completar a água do radiador, por exemplo.

Saber a legislação brasileira de trânsito

Outro requisito primordial é conhecer adequadamente a legislação de trânsito brasileira. Conhecer os sinais de trânsito é requisito imprescindível para ter uma atitude condizente ao volante. Assim, as chances de fazer algo errado, quer isso resulte num acidente ou apenas numa multa, será bem menor.

Use corretamente o cinto de segurança
Use corretamente o cinto de segurança

Treinamento para situações de risco

Muitos motoristas possuem um reflexo muito bom, e são capazes de desviar de obstáculos de forma muito rápida. Outros, porém, nem tanto. Mas não tem problema, o treinamento adequado pode suprir essa carência de um reflexo ágil.

Mas cuidado, não tente fazer isso sozinho ou com os amigos em ambiente caseiro. Esse tipo de treinamento deve ser supervisionado por profissional habilitado, num ambiente controlado e com equipamento de segurança. É um investimento que vale a pena.

Estudar as condições do clima e da via

Outro ponto importante, também pouco lembrado, é estudar as condições do clima e da via por onde vai dirigir. Claro que aqui já não estamos falando da situação do dia-a-dia, como seria levar os filhos na escola, mas sim de situações específicas, como uma viagem um pouco mais longa.

Confira a previsão do tempo antes de sair de casa e esteja preparado para uma situação adversa, por exemplo sabendo que em certo ponto da viagem vai precisar fazer uma parada e esperar a chuva passar. Isso exige certo planejamento, mas pode evitar dissabores enormes.

As condições da via também podem ser “estudadas”, pelo menos em parte. Por exemplo, saber se um trecho do percurso está em obras ou se algum acidente recente deixou a pista suja. Tudo isso é importante para ter uma viagem segura.

Ultrapassar com segurança

Embora já tenhamos mencionado mais acima, é importante ressaltar essa questão. Fazer ultrapassagens arriscadas têm sido ultimamente no Brasil uma das maiores causas de acidentes fatais. Dirigir não é apenas prestar contas de sua própria vida, mas de muitas outras pessoas. É algo muito sério e deve ser encarado como uma grande responsabilidade.

Dizer que a pressa é inimiga da perfeição, nesse caso, é muito pouco. Não tenha pressa em realizar uma ultrapassagem, espere o momento mais seguro, de maior visibilidade e no local adequado. Faça a manobra com a maior segurança que puder, inclusive deixando o motorista que está sendo ultrapassado seguro da sua manobra.

Não faça ultrapassagem proibida
Não faça ultrapassagem proibida

Direção preventiva e corretiva

Há quem divida a direção defensiva em duas categorias: preventiva e corretiva.

A direção preventiva é aquela que evita as situações de risco, de perigo. Neste caso o motorista antecipa a situação, seja atuando com total atenção no que está fazendo, seja percebendo o que está acontecendo ao seu redor.

Já a direção corretiva trabalha já dentro de uma situação de risco em andamento. Aqui, o motorista precisa atuar, agir imediatamente em função de algo que está se desenrolando, não tem como antecipar nada.

Últimas dicas

Algumas dicas também podem colaborar para uma direção consciente. Uma delas é sempre manter a calma ao conduzir. Não ter pressa nem perder a paciência com as situações com as quais muitas vezes nos deparamos no trânsito. A vida agitada que levamos hoje, especialmente dos grandes centros, pode influenciar de forma negativa os motoristas.

Outra dica fundamental é a manutenção periódica do veículo, mas não apenas levando na concessionária para fazer a revisão programada, mas se atentando a qualquer coisa que possa estar funcionando mal no veículo (um barulho estranho na suspensão, um ruído diferente no motor, enfim). Leve o veículo para uma análise, especialmente se for fazer uma viagem um pouco mais longa.

Entre os itens mais simples estão o nível de água no radiador, de óleo no motor e freio, pressão e estado dos pneus, funcionamento das lanternas e faróis. Se fizer isso – além de prestar atenção em algum comportamento estranho do veículo – já estará bem mais seguro.

Por fim, vale ressaltar também que a utilização do cinto de segurança de forma habitual e correta é fator essencial não apenas para o motorista, mas para todos os ocupantes do veículo. Para isso, é mister que a pessoa encoste completamente no banco, passe o cinto uma parte por cima do ombro e a outra pela cintura, abaixo do abdômen, de forma que em caso de acidente a pessoa não escorregue por baixo do cinto ou fique com a garganta presa nele.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?