Volvo criou o cinto de segurança de três pontos e ajudou a salvar milhões de vidas

Uma das principais características da marca sueca Volvo é oferecer uma segurança pra lá de caprichada em seus veículos. Contando com inúmeros dispositivos de segurança, os carros da marca não são conhecidos como os mais seguros do mundo à toa.

História
2 semanas atrás
Volvo criou o cinto de segurança de três pontos e ajudou a salvar milhões de vidas

E essa preocupação com a segurança de seus passageiros não vem dos últimos anos apenas, mas desde muitas décadas atrás. Uma de suas invenções hoje em dia é um item obrigatório em todos os veículos: O cinto de três pontos.

A ideia

Para saber sobre o cinto de três pontos, precisamos voltar para o final dos anos 50, quando o engenheiro Nils Bohlin foi contratado pela Volvo como engenheiro-chefe do departamento de segurança, sendo que uma de suas primeiras tarefas foi desenvolver uma alternativa aos cintos abdominais já presentes na época

Até então, já existia um tipo de cinto que ficou conhecido como “Y”, sendo que sua proposta era juntar os cintos diagonal e abdominal em uma única peça, mas por conta de problemas como as tiras do cinto que se encontravam sobre a barriga do passageiro, aumentando a possibilidade de ferimentos internos nas vísceras.

Em agosto de 1959, a Volvo criou uma das inovações de segurança no trânsito mais importantes de todos os tempos: o cinto de três pontos. Simples, eficiente e de fácil manuseio, o produto foi produzido pelo engenheiro Nils Bohlin.
Em agosto de 1959, a Volvo criou uma das inovações de segurança no trânsito mais importantes de todos os tempos: o cinto de três pontos. Simples, eficiente e de fácil manuseio, o produto foi produzido pelo engenheiro Nils Bohlin.

Como funciona o cinto?

Foi então que, pensando a partir do modelo do cinto “Y”, Bohlin ficou encarregado de aperfeiçoá-la. Seu desenvolvimento foi rápido, pois Bohlin percebeu que era importante apoiar o cinto nas partes mais resistentes do corpo como os ombros, a caixa torácica e o osso pélvico.

Para fazer o procedimento de forma mais fácil, o engenheiro desenvolveu um cinto em formato de V que permitia que, usando apenas uma mão, o passageiro pudesse alcançar o cinto de segurança, puxá-lo por sobre seu corpo, e afivelá-lo em um encaixe ao lado do banco.

E foi assim que, em 1959, a Volvo criou um item de segurança que hoje é tido como essencial em todos os veículos: O cinto de três pontos.

Colocando na prática

A Volvo nem esperou a patente estar aprovada e, após diversos testes, já colocou em seus veículos em 1959 os cintos de três pontos. Os primeiros veículos a utilizarem a tecnologia foram o compacto P120, sedã de duas ou quatro portas; e o PV544, sedan dois-volumes.

Logo os números começaram a contatar o que Bohlin já havia prevido: Os números de mortos e feridos na Suécia em acidentes de trânsito caíram 45% e, durante seus mais de 60 anos de existência, já salvou cerca de 1 milhão de vidas.

Outro fator interessante é de que a patente do cinto de três pontos saiu no ano de 1962, três anos após o primeiro modelo da marca começar a usar. Com a patente em mãos, a Volvo ofereceu a mesma de forma gratuita para todas as concorrentes visto que essa tecnologia ajudaria a salvar mais vidas, deixando o lucro de lado.

Cinto de três pontos hoje em dia

Nos dias atuais o cinto de três pontos é um item obrigatório de segurança nos veículos, sendo que alguns veículos mais simples não possuem o cinto de três pontos para todos os ocupantes, uma economia simples, mas que pode custar a vida daquele passageiro.

Hoje a Volvo trabalha com dezenas de airbags em seus veículos, sistemas de alerta de colisão e pilotagem autônoma em seus carros para prezar a segurança dos passageiros. Foi com essa preocupação da marca em entregar segurança para seus clientes que hoje milhões de vidas foram salvas 60 anos após a invenção.

*Com informações da Volvo.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?