A história do Honda Civic no Brasil

Por mais que hoje não estejam em seus melhores dias, os sedans sempre foram os queridinhos do mercado. Com bom desempenho, porta-malas grande e confortável, os sedans sempre foram a escolha principal do público até a chegada da onda de SUVS.

História
2 meses atrás
A história do Honda Civic no Brasil

E quando falamos de sedans, é imprescindível falar do Honda Civic, o eterno rival do Corolla no topo de vendas não só no Brasil como também no mundo inteiro.

O modelo começou a ser vendido por aqui em 1992, e de lá pra cá as coisas mudaram bastante, exceto uma coisa: O sucesso do sedan da Honda!

6ª Geração

6ª Geração do Honda Civic
6ª Geração do Honda Civic

Para lembrarmos das quatro gerações que foram fabricadas por aqui, temos que voltar para 1997, quando o primeiro Civic foi fabricado no Brasil. Em sua época, o Civic de sexta geração foi um veículo inovador para sua época e detentor de equipamentos diferenciados.

O Civic tinha a ideia de trazer versões bem completas e sem opcionais, sendo elas LXB, LX e EX (manual) e LX e EX (câmbio automático). O Civic oferecia para seus clientes tecnologias como suspensão independente, barras de proteção contra impactos laterais nas portas, moderno motor com bloco e cabeçote em alumínio assim como outros itens de série, como direção hidráulica com regulagem de altura, vidros elétricos nas quatro portas, abertura de porta-malas e tanque por dentro do veículo, itens que até então eram pouco vistos em carros desta categoria.

Nas versões EX, o Civic oferecia tecnologias de segurança como freios ABS e airbag duplo. No ano de 1999, o modelo recebeu um facelift e mais equipamentos de segurança e acabamento, antecedendo a nova geração que estava por vir

7ª Geração

7ª Geração do Honda Civic
7ª Geração do Honda Civic

Foi então que, em dezembro de 2000, foi lançada a sétima geração do Honda Civic no Brasil, já como modelo 2001 nas mesmas versões que a geração anterior. Com a nova geração do modelo, alguns itens foram adicionados como o assoalho plano para os ocupantes dos bancos traseiros e um design moderno e completamente reformulado.

Tendo um espaço maior, os novos motores do Civic eram ambos 1.7 com 115 ou 130 cv de potência. As versões de entrada passaram a incorporar mais itens de série, como os airbags duplos a partir da versão LX.

O resultado para a sétima geração do Civic não poderia ser diferente: O modelo fechou o ano de 2001 como líder de vendas no segmento, superando o Corolla, com 21.402 unidades comercializadas. Alguns anos depois, em 2003, a Honda comemorou a produção do Civic nacional de número 100.000 e um ano

New Civic (8ª Geração )

8ª Geração do Honda Civic
8ª Geração do Honda Civic

Mas foi então que, em abril de 2006, com a Toyota liderando o segmento de sedans médios, a Honda decidiu ousar e lançar um Civic com um design completamente atemporal, com linhas extremamente ousadas e esportivas e com um interior futurista. Resumindo, o Civic estava tão irreconhecível que foi batizado de New Civic!

Contando com motor 1.8 nas versões LXS, LXL e EXS, o Civic de oitava geração ficou conhecido a geração mais adorada do modelo muito por conta de suas belíssimas linhas e interior que chamam atenção até os dias atuais.

Mas as novidades do Civic de oitava geração iam além das versões normais. Em 2007, foi apresentado o Civic Si, uma versão esportiva com motor 2.0 i-VTEC de 192 cv e câmbio manual de cinco velocidades. o Si vinha com um novo painel com iluminação vermelha e shift light integrado e bancos esportivos com costura vermelha. Em seu primeiro ano de vendas no Brasil, o modelo teve quase duas mil unidades comercializadas (1.935 veículos). Até os dias atuais, o Civic Si de oitava geração é o preferido para aqueles que procuram um Civic com a alcunha Si, estando a frente inclusive dos modelos mais novos.

9ª Geração

9ª Geração do Honda Civic
9ª Geração do Honda Civic

A nona geração do Civic não foi tão brilhante quanto a anterior, mas fez muito bem seu papel e manteve o Civic como pleno competidor do Corolla na briga pelo topo de vendas da categoria. Sendo anunciada em 2012, o modelo adotou linhas mais sóbrias e novas tecnologias embarcadas como conexões USB e Bluetooth, direção elétrica e o botão ECON de economia de combustível.

Com as versões LXS, LXL (que mais tarde viria ser chamada de LXR) e EXS, o Civic g9 vinha com um motor 1.8 com câmbio manual ou automático e, a partir de 2014, a partir da versão LXR, o motor passava a ser um 2.0.

O Civic de nona geração entregava um bom desempenho, muito conforto e linhas bem-comportadas, mas isso não foi o suficiente para desbancar o Corolla.

10ª Geração

10ª Geração do Honda Civic
10ª Geração do Honda Civic

Bem, deu para perceber que o Honda Civic e linhas esportivas e futuristas são uma combinação muito boa, certo? Então por que não tentar novamente uma geração com esse estilo? Foi pensando assim que a Honda apresentou em agosto de 2016 a décima (e atual) geração do Honda Civic. Suas linhas encantaram logo de primeira, com toques de modernidade e esportividade que juntamente às lanternas traseiras em formato de bumerangue chamaram muito a atenção.

Seu interior não ficou tão revolucionário quanto a mudança da sétima para a oitava geração, mas a mudança nos detalhes de acabamento e modernidade eram nítidas. Com as versões Sport, EX, EXL e Touring (com a versão básica LX chegando um pouco depois), o Civic conta com motores 2.0 e o novíssimo 1.5 turbo exclusivo da versão Touring. O sucesso do veículo foi imediato e, mesmo com o preço mais elevado, chegou novamente à liderança do segmento, onde disputa até hoje com a nova geração do Corolla.

11ª Geração

11ª Geração do Honda Civic
11ª Geração do Honda Civic

Em 2021 deve ser apresentado oficialmente ao mundo a 11ª geração do Honda Civic.

A nova cara do Civic apresenta um visual limpo e sofisticado, enfatizando uma estatura baixa e ampla com fortes elementos horizontais, incluindo compensar a grade vertical abaixo dos faróis.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?