Denza: marca de luxo da BYD pode vir para o Brasil

Um dos modelos de destaque da Denza é o Z9 GT, uma perua elétrica que se espera chegar ao mercado europeu em 2025. O veículo é impulsionado por três motores elétricos que produzem um total de 710 kW, ou aproximadamente 952 cv. Ele tem uma velocidade máxima controlada eletronicamente de 240 km/h e vem equipado com a bateria Blade. O Z9 GT mede 5,18 metros de comprimento e tem um entre-eixos de 3,12 metros. A autonomia do veículo e outros detalhes técnicos ainda serão divulgados.
Publicado em BYD dia 18/05/2024 por Alan Corrêa

A Denza, uma marca de carros de luxo elétricos, surgida de uma colaboração entre a Build Your Dreams (BYD) e a Mercedes-Benz em 2010, pode entrar no mercado brasileiro. Segundo declarações de Stella Li, CEO da BYD Americas, a empresa considera introduzir a Denza no Brasil, visando expandir sua presença no mercado de veículos elétricos de luxo.

O Denza Z9 GT, um dos modelos destacados, é um veículo totalmente elétrico com previsão de lançamento para o final de 2024 na Europa e possível entrada no mercado brasileiro subsequente. O veículo mede 5,18 metros de comprimento e tem uma distância entre eixos de 3,12 metros. Possui três motores elétricos, sendo um dianteiro de 230 kW e dois traseiros de 240 kW cada, totalizando uma potência de 710 kW, ou aproximadamente 952 cv. A velocidade máxima do Z9 GT é eletronicamente limitada a 240 km/h e ele é equipado com a bateria Blade.

Z9 GT (JustAnotherCarDesigner / Wikimedia)
Z9 GT (JustAnotherCarDesigner / Wikimedia)

Além do Z9 GT, a Denza oferece outros modelos como a Denza D9, uma minivan de luxo que comporta até sete ocupantes e está disponível tanto em versões elétricas quanto híbridas plug-in. A minivan tem 5,25 metros de comprimento, 1,96 metros de largura, 1,92 metros de altura e um entre-eixos de 3,11 metros. A versão híbrida plug-in combina um motor a combustão de 1.5 turbo com 137 cv e 23,5 kgfm de torque com baterias de 20,3 ou 40 kWh, resultando em uma potência combinada de 296 cv e 58,2 kgfm. Essa configuração permite uma aceleração de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. A versão totalmente elétrica apresenta opções com tração dianteira ou integral, com potências de 308 cv e 369 cv, respectivamente, e capacidades de aceleração comparáveis.

A Denza D9, produzida pela BYD em colaboração com a Mercedes-Benz, pode chegar ao Brasil em 2025, conforme anunciado por Henrique Antunes, diretor de vendas da BYD no Brasil.
A Denza D9, produzida pela BYD em colaboração com a Mercedes-Benz, pode chegar ao Brasil em 2025, conforme anunciado por Henrique Antunes, diretor de vendas da BYD no Brasil.

As baterias de fosfato de ferro e lítio na versão elétrica têm uma capacidade de 103,4 kWh, oferecendo uma autonomia de até 620 km com tração dianteira e 600 km com tração integral. A recarga rápida de 15 minutos pode proporcionar uma autonomia de 230 km, com uma potência de carregamento de até 166 kW.

Denza N7 (User3204 / Wikimedia)
Denza N7 (User3204 / Wikimedia)

Modelos como o Denza N7 são comercialmente mais viáveis, apesar de se assemelharem mais a um BYD do que a qualquer coisa associada à Mercedes-Benz. De fato, já passou a época em que a montadora alemã compartilhava plataformas com a marca chinesa.

Stella Li também mencionou a possibilidade de que, além da Denza, marcas de luxo como Feng Cheng Bao e YangWang possam ser vendidas nas concessionárias Denza no Brasil, operando como submarcas e não diretamente sob o guarda-chuva da BYD. A estrutura seria semelhante à relação entre Audi e o Grupo Volkswagen.

Não foi anunciada uma data específica para o lançamento da Denza no Brasil. No entanto, considerando que a BYD planeja produzir 12 modelos de carros em Camaçari, Bahia, onde se situava a antiga fábrica da Ford, não seria surpreendente se algum modelo da Denza também fosse produzido localmente.

Este movimento faz parte de um esforço maior da BYD para aumentar sua presença no mercado global de veículos elétricos, onde já é um dos líderes na China. A entrada potencial da Denza no Brasil reflete uma tendência crescente de aceitação e interesse em veículos elétricos e híbridos no país, acompanhando o aumento global na demanda por soluções de mobilidade mais sustentáveis.

*Com informações do Wikipedia, NoticiasAutomotivas e OlharDigital.