A história do Chevrolet El Camino

Uma picape bem diferente das que temos hoje por aí, um dos diferenciais de antigamente nessa picape era o vidro traseiro que descia com uma inclinação diferente das atuais, o visual do Chevrolet El Camino mostra como a marca buscou atualizar seus padrões.

História
1 mês atrás
A história do Chevrolet El Camino

A história da Chevrolet é repleta de carros icônicos, esse modelo foi estrela das telas, ele era o carro do personagem Earl J. Hickey em uma série americana de comédia transmitida entre 2005 e 2009 chamada “My name is Earl”, recentemente apareceu no filme sequência de Breaking Bad, chamado de El Camino, onde Jesse Pinkman (Aaron Paul) tenta fugir do Novo México e recomeçar sua vida.

O lendário Chevrolet El Camino

Chevrolet El Camino 1959 (Foto: Michael Barera / Wikimedia)
Chevrolet El Camino 1959 (Foto: Michael Barera / Wikimedia)

A picape glamorosa herdou os traços do tão imponente impala da década de 50, tendo como concorrente de peso o Ford Ranchero, porém era uma disputa difícil, pois as duas eram as top de linha na época.

Mesmo assim o El Camino se superou em vendas, mérito esse garantido por suas variedades de grandes motores potentes, um de 6 cilindros e ainda duas outras opções de V8 com blocos de 4,6 e 5,7L com transmissão automática, sua cabine foi projetada para três pessoas, com bastante conforto, apesar de seus potentes motores e sua belíssima caçamba ela não era muito indicada para trabalhos mais brutos.

Chevrolet El Camino 1965 (Foto: Accord14 / Wikimedia)
Chevrolet El Camino 1965 (Foto: Accord14 / Wikimedia)

A Nova versão da picape utilizada pelo desenhista Bill Mitchell já no início da década de 60 acabou não agradando muito o seu público tendo queda de 30% nas comercializações.

Chevrolet El Camino SS 1970 (Foto: Hugh Llewelyn / Flickr)
Chevrolet El Camino SS 1970 (Foto: Hugh Llewelyn / Flickr)

O El Caminos 1972 usava luzes de marcação laterais em seus pára-lamas dianteiros, fora de uma grade dupla revisada, mas pouco mudou. Em 1972, as medições de potência foram alteradas para os valores “líquidos” instalados em um veículo com todos os acessórios e controles de emissão conectados.

Chevrolet El Camino 1973
Chevrolet El Camino 1973

Quarta geração: Os modelos de 1977 pouco mudaram, exceto o 400 V8. O El Camino Classic foi novamente o modelo top e a opção SS continuou.

1982–1987 El Camino
1982–1987 El Camino

Quinta geração: a GM transferiu a produção do El Camino para o México, e o novo V6 de 4,3 L com injeção de combustível tornou-se o motor básico em 1987. A produção do El Camino terminou silenciosamente no final de 1987. [20] Alguns modelos do ano de 1987 (420 El Caminos e 325 GMC Caballeros) são listados como entregas no varejo de carros novos no ano civil de 1988 com base na data da primeira venda no varejo.

Chevrolet Chevelle

Depois de uma ausência de três anos, o El Camino foi reintroduzido como parte da nova linha Chevelle. O Chevelle também forneceu a plataforma para o Monte Carlo introduzido em 1970. O Malibu, o modelo top de linha até 1972, substituiu completamente a marca Chevelle para o modelo do ano de 1978 redesenhado e reduzido.

Chevrolet Chevelle (Barnstarbob / Wikimedia)
Chevrolet Chevelle (Barnstarbob / Wikimedia)

Mas uma lenda nunca fica esquecida, quatro anos após a GM encerrar a produção do El Camino foi lançado o Chevelle, baseada na segunda edição da picape essa foi projetada para os trabalhos mais árduos, sua suspensão traseira trazia o que tinha de mais novo em questão de tecnologia na época, bolsas infláveis eram encarregadas de nivelar a carroceria quando carregada.

O Chevelle veio portando dois tipos de motores de seis cilindros de 3.2L e 3.8L e um V8 de 4.6L e 5.4L, agora era luxo, potência e praticidade, tudo em uma única picape.

Em 1996 surge com 360 cavalos de potência num motor V8 6.5L, no ano seguinte foi instalado sistema de freio a disco nas rodas da frente para conseguir segurar essa potência toda, sua transição também foi modificada, agora para três velocidades.

Já na sua terceira versão foi lançado o modelo Super Sport (SS 396) com 375 Cv
carregado por aquele V8 6.5L, logo em seguida na década de 70 o Super Sport apresentaria outra novidade, novidades essa que deixou os amantes dos possante ainda mais apaixonados, foram produzidas algumas mais de 500 exemplares, eis esses atingindo de 0 a 100 km/h em apenas 6,5 segundos, graças a seu motor V8 7.4L agora com 450 cavalos de pura potência.

A quarta geração não saiu muito bem, foram alguns pontos com a proibição de chumbo no combustível que fariam ele perder parte de sua potência e daí já não agradaria mais até mesmo por seu para-choque que não agia mais em harmonia com suas belíssimas curvas herdadas das antigas versões.

Em 1978 deixou de concorrer com a Ranchero, pois ela teve sua produção encerrada neste ano, já em 1982 surgia a S10 que tomaria seu lugar no mercado.

O El Camino ainda foi produzido entre 1985 e 1987 no México, e depois foi encerrado de vez a produção de toda uma história da linha El Camino.

Sucesso no entretenimento

My Name is Earl
My Name is Earl

O El Camino era o carro de Earl J. Hickey, personagem principal na série homónima My Name is Earl.

El Camino: A Breaking Bad Movie
El Camino: A Breaking Bad Movie

Famoso por ser um dos carros marcantes da série “Breaking Bad”, o Chevrolet El Camino 1982 aparece também na sequência e epílogo para a série de televisão, em El Camino, Jesse Pinkman foge dirigindo o El Camino de Todd Alquist.

Em plena era do poliéster nos anos 70, um grupo eclético de amigos à beira da vida adulta lida com os altos e baixos da busca pela independência.
Em plena era do poliéster nos anos 70, um grupo eclético de amigos à beira da vida adulta lida com os altos e baixos da busca pela independência.

O carro também passou pelas mãos do personagem Steven Hyde da série That 70s Show.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?