Chevrolet Opala ainda mora no coração de muita gente e o preço só aumenta

Já são quase 51 anos desde o lançamento do primeiro veículo produzido pela fabricante americana Chevrolet no Brasil: O Opala.

História
5 meses atrás
Chevrolet Opala ainda mora no coração de muita gente e o preço só aumenta
Chevrolet Opala SS 1976 (foto: Niemann333 / wikimedia)

Seu design inconfundível, requintes de sofisticação, modelos de sucesso e principalmente os motores potentes foram pontos para que o veículo não apenas conseguisse superar seu rival, o Ford Maverick, em todos os aspectos, mas também para que o veículo conquistasse uma legião de fãs que perpetuam até os dias atuais.

História do Opala

A história deste ícone da indústria automobilística brasileira se deu início em 1966, quando a Chevrolet decidiu que iria investir no mercado do Brasil e que, para isso, deveria ter um veículo produzido por aqui. Logo então começou uma série de estudos baseados nas características da geografia e hábitos brasileiros, além de pegar o modelo alemão Rekord da Opel como base, saindo como resultado o Opala.

Chevrolet Opala
Chevrolet Opala

Então, em 1968, a Chevrolet lançou o sedan de luxo Opala, com design inspirado no Rekord e potência inspirada no icônico Impala americano. Não demorou muito para o veículo cair nas graças da população, pois além de ser um veículo com características únicas que foram se moldando conforme o tempo para atender a necessidade de seus clientes, possui uma fortíssima publicidade em cima do veículo com nomes como a atriz Tônia Carrero e o jogador de futebol Rivelino.

Chevrolet Opala
Chevrolet Opala

O Opala se aposentou em 1992, com a impressionante marca de 1 milhão de unidades produzidas, fazendo com que seu legado se perpetua até os dias atuais, graças a seu conforto, potência e versatilidade que, até então, não estava presente em veículos competidores do mesmo.

Versões do Opala

Um dos principais diferencias do Opala para que o carro continuasse a ser amado durante seus 23 anos de produção foi a grande diversidade de modelos que o veículo dispunha.

Inicialmente, as versões oferecidas eram a Standard, que a partir de 1971 se chamaria Especial, e a Luxo, modelo com melhor acabamento interno e motor 3800, que até o início dos anos 70 foi o modelo topo de linha. Em 1971, a versão Gran Luxo foi introduzida como a nova versão topo de linha, sendo oferecida tanto na versão Sedan e Coupe com motores 2.5 4 cilindros ou 3.8 seis cilindros.

Propaganda Opala De Luxo 1972
Propaganda Opala De Luxo 1972

A grande mudança do Opala viria na versão SS, focando na esportividade e querendo bater de frente com outros veículos como o Maverick GT e o Dodge Charher R/T. Com um acabamento diferenciado, oferecendo uma pegada mais esportiva e um novo motort 4.1 com câmbio de 4 marchas no assoalho, o veículo conseguiu conquistar uma legião de fãs. Em 1973, fora lançado um motor de 4 cilindros por causa da crise do petróleo. Este icônico modelo deixou de ser oferecido em 1980.

Mas a época de ouro do Opala teve início com a chegada da Caravan em 1975, uma vertente em forma de weagon do modelo oferecendo até mesmo a configuração mecânica do Opala SS, que inclusive chegou a ser eleito melhor carro do Brasil à época.

Também em 1975, foi lançado o modelo Comodoro para substituir a versão Grand Luxo até 1980, quando a linha do Opala passaria por uma remodelação profunda após o lançamento da versão Diplomata, que ficou conhecida por ser a versão mais luxuosa e potente do veículo.

Mas o fim do Opala ocorreu em 1992 com o lançamento da versão Caravan Comodoro, juntando o melhor das duas versões de maior sucesso da linha Opala, que foram produzidos apenas nas cores azul Millos, preto Memphis e vermelho Ciprius, limitados a apenas 100 unidades. O sucessor do Opala no Brasil foi o Chevrolet Omega.

Opala de Luxo Sedan 1978 (foto: papurojugarpool / wikimedia)
Opala de Luxo Sedan 1978 (foto: papurojugarpool / wikimedia)

Opala Coupé 1980 (foto: Prefeitura Municipal Itanhaém / wikimedia)
Opala Coupé 1980 (foto: Prefeitura Municipal Itanhaém / wikimedia)

Opala SL, 1990 (foto: papurojugarpool / wikimedia)
Opala SL, 1990 (foto: papurojugarpool / wikimedia)

Por que ainda é amado?

Diversos são os fatores que fazem do Opala um dos carros mais desejados do Brasil até os dias atuais.

Opala 1988 ss usado em competições de Stock Car Brasil (foto: Morio / wikimedia)
Opala 1988 ss usado em competições de Stock Car Brasil (foto: Morio / wikimedia)

Contando com uma mecânica robusta e confiável, motores extremamente fortes, tecnologias de conforto como o câmbio automático e uma sofisticação até então difícil de ser vista, o Opala fez seu nome até os dias atuais por conta destas características.

Mas tanto amor pelo veículo tem um preço, visto que tamanha procura pelo modelo faz com que automaticamente seu preço se eleve muito, fazendo com que alguns exemplares chegam a custar o mesmo que um sedan médio 0 km.

Portanto, o legado que o Opala estabeleceu no Brasil continua intacto até hoje e, pelo visto, continuará por muito tempo, fazendo com que o veículo ganhe novos entusiastas a cada dia que se passa, fazendo assim com que o prazer de restaurar um carro destes esteja presente na maioria de seus proprietários em nome do amor que sentem pelo modelo.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?