Curiosidades do Mazda RX-7, o carro do Jaspion

O RX-7 é um modelo esportivo desenvolvido pela marca japonesa Mazda durante os anos de 1978 e 2002. Ficou célebre pela configuração do seu motor Wankel rotativo de posição dianteiro-central e por ter servido de veículo do herói japonês Jaspion.

História
3 semanas atrás
Curiosidades do Mazda RX-7, o carro do Jaspion

O veículo era espartano com ênfase na dinâmica de direção, em lugar do conforto material. Inovando a família de modelo esportiva leve com tração traseira por seus motores rotativos únicos, que tiravam sua potência de rotores triangulares em vez dos pistões tradicionais.

A fama do RX-7

Durante três gerações, o Mazda RX-7 marcou a época com um estilo esportivo e original, especialmente pelo seu duplo motor rotativo Wankel. O veículo, vendido inicialmente por 6.995 dólares, incluía suspensão de molas helicoidais, eixo traseiro, direção de esferas recirculantes e freios front-disc/rear-drum.

O RX-7 é considerado um dos veículos mais importantes saídos do Japão, tendo aparecido em filmes, programas de TV e vídeo games, incluindo o filme campeão de bilheteria Velosos e Furiosos. Mas a sua popularidade ganhou notável alcance como carro do herói japonês Jaspion.

O carro do Jaspion
O carro do Jaspion

Primeira geração

De longe a primeira geração do RX-7, apresentada em 1978, foi a mais consagrada e conseguiu atingir a impressionante marca de 570.000 unidades vendidas.

Com 4.285 mm de comprimento e linhas afiladas que combinavam retas e superfícies curvas, incluindo faróis escamoteáveis, o design esportivo – baseado no Porsche 924 – era bem modernizado para época.

Nascida como substituto do RX-3, o RX-7 estava equipada com motor 1,1 litros duplo Wankel Mazda de 12A, com carburador quádruplo único, cuja potência inicial começou com 105 cv e chegou até 134 cv com o término da geração.

Mazda RX7 (foto: Jeremy / wikimedia)
Mazda RX7 (foto: Jeremy / wikimedia)

Este tipo de motor dispensa vários componentes, entre os quais pistões, camota e árvore de comando de válvulas. Por outro lado, tem a desvantagem de um desgaste acelerado, alto consumo e em menores rotações pouco binário.

A caixa de câmbio era manual de cinco marchas e permitia acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 8,5 segundos e superar os 200 km/h. Já o consumo era cerca de 11 litros a cada 100 km.

Para o Japão, houve uma versão exclusiva do RX-7 Turbo como topo de linha do modelo da primeira geração, com 165 cv de potência. Aliás, esportivo da Mazda teve diversas variações de país para país.

Mazda Savanna RX-7 Turbo (foto: Tennen-Gas / wikimedia)
Mazda Savanna RX-7 Turbo (foto: Tennen-Gas / wikimedia)

Uma característica incomum do RX-7 era o bagageiro, pois o acesso ao porta-malas era feito pela janela traseira que levantava como uma tampa, uma herança visual do modelo alemão.

A “Mazda RX-7 Group B rally car” competiu no rally de Monte Carlo em 1979.

Mazda RX-7 versão rally (foto: 160SX / wikimedia)
Mazda RX-7 versão rally (foto: 160SX / wikimedia)

Opções e modelos variaram de país para país. O layout do medidor e o estilo interior da Série 3 foram alterados apenas para as versões norte-americanas. Além disso, a América do Norte foi o único mercado que ofereceu a primeira geração do RX-7 com o 13B, modelo GSL-SE injetado por combustível. As vendas da primeira geração RX-7 foram fortes, com um total de 474.565 carros de primeira geração produzidos; 377.878 (quase oitenta por cento) foram vendidos apenas nos Estados Unidos. Em 2004, o Sports Car International nomeou este carro em sétimo lugar na sua lista de Top Sports Cars da década de 1970. Em 1983, o RX-7 apareceria na lista de dez melhores da revista Car e Driver pela primeira vez em 20 anos.

Segunda geração

Mazda RX-7 - Segunda geração (foto: Jeremy / wikimedia)
Mazda RX-7 – Segunda geração (foto: Jeremy / wikimedia)

Entre 1986 a 1991 houve a segunda geração do Mazda RX-7 com estilo mais familiar, um ligeiro aumento de comprimento com 4.310 mm e 5 mm mais alta, bem como um aumento considerável de peso, mais de 39% nos últimos anos, devido a inclusão de novos equipamentos.

O motor mantinha o duplo rotor, chegando a 1,3 litros e oferecendo duas versões de potência: 148 cv e 205 cv. Mas a maior novidade foi a opção cabriolet, lançada em 1988.

Terceira geração

Mazda RX-7 - Terceira geração (foto: Taisyo / wikimedia)
Mazda RX-7 – Terceira geração (foto: Taisyo / wikimedia)

Em 1992, surgiu a última geração do RX-7, que teve que rivalizar com lançamentos de modelos esportivos mais modernizados, como o Mitsubishi 3000 GT, Nissan 300 ZX e Honda NSX.

O design evoluiu bastante, com proporções mais esportivas e modernizadas: 4.280 mm de comprimento, 1.229 mm de altura e 1.750 mm de largura.

A motorização já alcançava mais de 250 cv de potência e o peso total ficou mais leve com 1.270 kg, o que permitiu o RX-7 fazer de 0 a 100 km/h em 5,2 segundos e atingir a velocidade máxima de 256 km/h.

A terceira geração é a que teve vida mais longa, 10 anos de produção, embora com o menor índice de venda, não atingindo 66.000 unidades.

Por fim, em 2003, o lançamento do modelo RX-8 encerrou a história do RX-7, ficando apenas na memória dos aficionados radicais por corrida.

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?