Porque o Chevette ainda é amado no Brasil

Estamos caminhando para os 46 anos do Chevette no Brasil, um veículo que marcou uma geração inteira com seu design simplificado, porém cativante.

História
4 meses atrás
Porque o Chevette ainda é amado no Brasil
Chevette SL (foto Mr.choppers / wikimedia)

Já são quase 26 anos sem o Chevette estar sendo produzido pela Chevrolet, mas ainda assim o mesmo continua conquistando admiradores por conta de sua potência e design interessante, o que já rendeu ao sedan o título de carro mais vendido do Brasil e agora é amado por quem procura por carros antigos.

Primeiro modelo do Chevette
Primeiro modelo do Chevette

Chevette ou Kadett?

Uma grande dúvida que ronda a história do Chevette é referente ao seu nome, que se fosse seguir uma questão lógica deveria se chamar Kadett. Sim, pode soar um tanto quanto estranho, mas existe uma explicação bem convincente para esta história tão intrigante e curiosa.

Na Europa, a fabricante Opel (subsidiaria da GM) começou a fabricação no velho continente de um veículo chamado Kadett no ano de 1962. A cada geração do Kadett, uma nova letra seria adicionada ao seu nome indicando uma nova geração, passando por Kadett A, B, C, D e E.

Acontece que, durante o lançamento da geração C que estava prevista para vir ao Brasil, por conta do país estar vivendo sob comando da ditadura militar, teve seu nome alterado pela GM por conta de possuir receio a uma possível retaliação ao nome do modelo. Visto isso, decidiram adiantar o nome Chevette para o Brasil, sendo que este nome viria a ser redirecionado posteriormente tanto ao mercado inglês quanto ao mercado americano.

O Kadett que conhecemos por aqui já chegou em sua ultima geração (E), sendo assim podemos considerar o Chevette como o “avô” do Kadett que conhecemos aqui no Brasil.

Veículo global

Se engana quem pensa que o Chevette foi desenvolvido apenas para ficar restrito a um nicho de algum mercado qualquer de veículos. A GM realmente apostou suas fichas neste conceito de “carro global”, porém algumas vezes com nomes diferentes. Casos estes como por exemplo da japonesa Isuzu o denominando de Gemini e a GM canadense com o Pontiac Acadian.

Motor 1.6 do Chevette. (foto; Rodrigo de Almeida Fraga de Oliveira / wikimedia)
Motor 1.6 do Chevette. (foto; Rodrigo de Almeida Fraga de Oliveira / wikimedia)

Ambos estes carros lançados de maneira global faziam parte de um projeto que foi denominado de “Projeto T”, aonde a GM economizava com pesquisas para desenvolver um carro para cada mercado diferente e ambos utilizavam a mesma plataforma e configurações muito parecidas, alterando na maioria das vezes a marca fabricante e o nome apenas.

Chevette no Brasil

No ano de 1973, o Chevette começou a ser vendido no Brasil com as opções inicialmente dos motores 1.4 a gasolina ou a álcool com o câmbio Clark da Opel. Com o passar dos anos, surgiram outros tipos de motorização como os motores 1.6 (os mais fortes) tanto a álcool quanto a gasolina e o motor 1.0 exclusivo da famosa versão Júnior.

O Chevette foi lançado originalmente sendo um sedan de duas portas, mas posteriormente a GM trouxe ao Brasil a versão de 4 portas e a Hatchback, mas todos os brasileiros sempre sonhavam com a versão cupê do modelo.

Versão americana do Chevette modelo 1977 duas portas hatchback (Vegavairbob/Robert Spinello / Wikimedia)
Versão americana do Chevette modelo 1977 duas portas hatchback (Vegavairbob/Robert Spinello / Wikimedia)

Chevette modelo 1978 (foto: ThePaper / wikimedia)
Chevette modelo 1978 (foto: ThePaper / wikimedia)

O sedan 4 portas do Chevette para exportação, na imagem vemos um exemplar do modelo de 1981 (Foto: Qwerty242 / Wikimedia)
O sedan 4 portas do Chevette para exportação, na imagem vemos um exemplar do modelo de 1981 (Foto: Qwerty242 / Wikimedia)

Chevette Hatchback SR de 1981
Chevette Hatchback SR de 1981

O Chevette Júnior lançado em 1992 possuía motor 1.0 e não tinha a moldura lateral
O Chevette Júnior lançado em 1992 possuía motor 1.0 e não tinha a moldura lateral

O último modelo do Chevette, modelo L fabricado em 1993 com acabamento similar ao do Chevette Júnior, mas equipado com um motor 1.6/S.
O último modelo do Chevette, modelo L fabricado em 1993 com acabamento similar ao do Chevette Júnior, mas equipado com um motor 1.6/S.

Por que ainda é tão amado?

O Chevette no Brasil já chegou a liderar o ranking de carros mais vendidos do país, superando inclusive o Fusca. Segundo a Chevrolet, cerca de 1,6 milhões de unidades foram vendidas em todo seu tempo de vendas, sendo que cerca de 222 mil continuam registrados no Detran.

Por ser um carro icônico, com seu design que encantou pelas curvas elegantes e simplificadas atrelados a um motor potente, a relação de custo-benefício que o sedan entregava aos clientes era muito importante para a propagação do sucesso. Hoje em dia, continua sendo amado pelos mesmos motivos, mas ainda mais por ter se tornado um veículo que marcou a geração dos anos 70 e 80.

Modelos do Chevette

Painel original de um Chevette L 1.6/S (foto: Lucs1994 / wikimedia)
Painel original de um Chevette L 1.6/S (foto: Lucs1994 / wikimedia)

  • Chevette Luxo (1973-1977)
  • Chevette Especial (1975-1980)
  • Chevette GP (1976 e 1978)
  • Chevette SL (1976-1990)
  • Chevette GP II (1977)
  • Chevette S/R (1981-1982)
  • Chevette SE (1987)
  • Chevette SL/E (1988-1990)
  • Chevette DL (1991-1993)
  • Chevette Júnior (1992)
  • Chevette L (1993)

Edições especiais

  • Chevette País Tropical (1976)
  • Chevette Jeans (1979)
  • Chevette Ouro Preto (1982)

carro.blog.br

O carro.blog.br é um espaço voltado para quem ama as máquinas que nos fazem companhia tanto na rotina do dia a dia quanto na diversão do final de semana.

Vamos Bater um Papo?